A velha Europa.


Talvez você já tenha assistido a um vídeo que circula pela internet falando sobre o crescimento do Islamismo mediante geração de filhos. Acreditemos nele ou não, existe ali um fato interessante. A Europa envelheceu.
Em algum momento da história, jovens casais começaram a pensar que talvez não devessem mais ter tantos filhos. Quem sabe, apenas um casal. Assim poderia lhes dar melhores condições de estudar. Além do que, filhos dão trabalho. Não era esta a mentalidade anterior. Outrora, se pensava justamente ao contrário. Ouça o salmista: “Herança do Senhor são os filhos; fruto do ventre, seu galardão. Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta”. Sl 127.3-5. O passo seguinte a gerar menos filhos, foi gerar praticamente filho algum.
Nem precisamos ir tão longe. No Brasil, até a década de 50, ainda se pensava: Quanto mais filhos, mais gente para trabalhar! “Vamos fazer muitos filhos para ter bastante gente para trabalhar na roça”! Filhos no passado eram símbolo de crescimento.
Hoje, muitos casais nem querem mais filhos. Assim fica mais fácil inclusive para quem é adepto da filosofia: “Eu caso, se não der certo separo”. Ideia do diabo!
A primeira, que chegou a muito na Europa e agora chega ao Brasil, à ideia de ter menos filhos para lhes dar um ‘futuro melhor’ já tem entrado em nossas igrejas e confesso: Eu mesmo já estava a adotando. Estava pensando que, melhor é mesmo não ganhar muitas e muitas pessoas para Cristo. Primeiro, vamos nos preparar para cuidar bem delas. Vamos analisar se temos ‘condições’. Esse pensamento não é de todo errado. O problema é quando, neste tempo de ‘análise’ e ‘preparo’, damos o segundo passo, o passo dado pelos irmãos do norte: “Ah, melhor é nem ter filhos, porque daí, se não der certo separo. Vamos manter um relacionamento aberto”! Sim, acabamos por muitas vezes, pelo medo de gerar filhos espirituais, deixando não somente de tê-los, mas, também de ter um compromisso sério e irrevogável com o Senhor.
Qual a melhor escolha? Gerar filhos que vão ‘se ajuntar’ aos 30 e não terão filhos porque são ‘pessoas instruídas’ ou gerar muitos descentes que por sua vez vão trabalhar muito e gerar uma prole ainda maior (falo de filhos espirituais)?
 Que possamos ganhar muitas almas instrui-las e dar-lhes condições também, afinal nosso Pai é Deus e nunca haverá mais filhos do que Ele possa amar e prover.
Comunidades que não ganham almas tornam-se congregações chatas! São os filhos que trazem a alegria, o amor, a paixão. É vendo o romance da filha que a mãe se inspira a perfumar-se novamente e o pai vendo o filho enamorado compra rosas para a esposa. Igreja que não ganha perdidos perde sua paixão pelo Noivo. Uma Igreja Viva, relevante e Bíblica é uma Igreja que ganha muitas vidas e delas cuida bem, com fé na provisão divina.

Bandido é que rouba de mim!

Quem nunca reparou nas contradições da vida? Dizemos que queremos paz e para isso fazemos guerra. Queremos um salário maior para pagar as dívidas e quando o temos gastamos mais ainda. Muitos fazem um enorme esforço para casar e quando casam separam e por ai vão as contradições...
Mas esta semana encontrei uma pérola das incongruências. Feliz da vida, sentado em minha poltrona, viajando em direção da congregação... Talvez se eu fosse supersticioso poderia ser até melhor a viajem, afinal a moça do guichê me dera a poltrona sete! Hehe. Bem, o interessante da história foi uma senhora que falava bem alto. Ela estava contando para quem quisesse ouvir, que conseguira tirar dinheiro do banco sem colocar a senha de letras. Segundo ela, um homem com uma arma estava na porta e um sujeito suspeito tinha mexido no caixa eletrônico antes dela o utilizar. Ela ligou para o banco, suspeitando de serem aqueles homens criminosos. A todo tempo reafirmava: “Hoje em dia, vocês sabem como é... Hoje em dia, tem bandido pra todo lado... Hoje em dia, as cosias estão difíceis, tem muito bandido e etc...” Parecia estar desapontada, entristecida pela realidade da sociedade em que vivemos. Sociedade violenta onde já não existe mais liberdade e uns tentam tirar proveito dos outros. Ela se mostrava indignada e discordante desta postura da humanidade.
Porém, no final de seu discurso: “É, nem sei se ficou registrado meu saque... Também se não ficou melhor ainda, tirei meu dinheiro, se não descontarem de minha conta, problema é deles”! Ou seja, ladrão é quem rouba de mim!
Vê-se que a ética predominante é “bandido é o outro” eu sou apenas esperto! Desse jeito ‘a vaca vai pro brejo’ mesmo! Será que ninguém tem mais um pingo de consciência para perceber que se condena no próprio discurso? Estamos fazendo como Davi (2Sm 12.1-15)! Onde estarão os Natãs para acordar a sociedade hodierna? Um abraço.

Foco ministerial

Pense em um profeta rebelde. Pensou em quem? Jonas, provavelmente. Jonas, o pombo mensageiro da palavra de Deus. O Senhor chama seu profeta e pede que vá a cidade de Nínive anuncias uma palavra de juízo. Jonas foge para o lado contrário. Não está nem um pouco preocupado com os habitantes de Nínive, ou melhor, está preocupado sim, em vê-los serem destruídos, afinal era um povo ímpio, terrivelmente cruel. Ao que indica a história, os ninivitas eram um dos povos mais cruéis e maléficos daqueles dias. Jonas queria vê-los sendo destruídos, mas sabia que o Senhor daria a eles uma oportunidade (Jn 4.1-2). Na cabeça de Jonas, os ninivitas deveriam mesmo ser completamente destruídos.
Jonas foge. Ele tinha perdido o foco de seu ministério. Somos servidos pelo ministério dos irmãos, que nos auxiliam a andar na presença do Senhor. De modo semelhante, também nosso ministério precisa servir ao Senhor e auxiliar os irmãos a andarem na presença do Senhor. Todos os ministérios realmente comprometidos com o Senhor, estão direta ou indiretamente ligados ao “ide” (Mt 28.19). Quando um ministro perde o fogo de ganhar vidas, perde o próprio sentido de sua existência. Jonas queria morrer porque seu ministério tinha perdido o foco. Mais ainda, sua própria existência tinha perdido o sentido, pois queria amar e servir apenas ao seu próprio povo. Seu ministério estava preso ao preconceito e sua incapacidade de enxergar a si mesmo como pecador o lesava.
Quando esquecemos que o ministério que Senhor nos confia deve direta ou indiretamente redundar em vidas sendo salvas, perdemos o ânimo (Aurélio: alma, espírito, mente), a vitalidade, a motivação. Explico bem este assunto na mensagem “Evangelizar ou morrer”.
Ei amigo! Lembre-se que somos “sacerdócio real”. Todos são chamados a serem ministros. Todos são chamados a ganhar vidas. Evangelize, focalize ganhar almas, senão com o tempo sua alegria em servir ao Senhor vai ir se esfriando. “Não, isso não vale para mim, pois meu ministério é de ensino”. Vale sim! Ensine e prepare pessoas para ganharem almas! “Ah, mas para mim isso não vale, sou chamada a ministrar dança”. Então que sua dança expresse o amor de Deus e seu poder para salvar. Já assisti inúmeras coreografias que mostravam a importância de ganhar almas. “Mas o meu caso é diferente, sou levita. Meu ministério é apenas adorar ao Senhor”. Ei! Já existem anjos fazendo isso 24 horas por dia (Ap 4.8)! Além do que, se você ficar “adorando” e não ganhar almas, Deus vai rejeitar sua adoração fajuta (Is 29.13; IJo 3.18)! Não existe ministério que direta ou indiretamente não contribua para a salvação de vidas.
Amado, seu ‘teu’ ministério não auxilia no evangelismo, direta ou indiretamente, você perdeu o foco e cedo ou tarde vais perder também o ânimo e se não te arrependeres, por fim, perderá o próprio desejo de viver.
Jonas estava tão obstinado  com a ideia de que Deus não deveria dar uma oportunidade a Nínive que ficou com raiva de Deus. Em Jonas capítulo 4 Deus dá uma grande lição em Jonas e também em todos nós. Leia o capítulo inteiro.

Jonas 4:1-11 (ARA)  Com isso, desgostou-se Jonas extremamente e ficou irado.  2 E orou ao SENHOR e disse: Ah! SENHOR! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me adiantei, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus clemente, e misericordioso, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e que te arrependes do mal. 3 Peço-te, pois, ó SENHOR, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver.  4 E disse o SENHOR: É razoável essa tua ira?  5 Então, Jonas saiu da cidade, e assentou-se ao oriente da mesma, e ali fez uma enramada, e repousou debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria à cidade.  6 Então, fez o SENHOR Deus nascer uma planta, que subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu desconforto. Jonas, pois, se alegrou em extremo por causa da planta.  7 Mas Deus, no dia seguinte, ao subir da alva, enviou um verme, o qual feriu a planta, e esta se secou.  8 Em nascendo o sol, Deus mandou um vento calmoso oriental; o sol bateu na cabeça de Jonas, de maneira que desfalecia, pelo que pediu para si a morte, dizendo: Melhor me é morrer do que viver!  9 Então, perguntou Deus a Jonas: É razoável essa tua ira por causa da planta? Ele respondeu: É razoável a minha ira até à morte.  10 Tornou o SENHOR: Tens compaixão da planta que te não custou trabalho, a qual não fizeste crescer, que numa noite nasceu e numa noite pereceu;  11 e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?

O ar.

É bem possível que por algumas vezes você já tenha sido convidado a parar um pouco e prestar atenção em sua respiração. Ou mesmo a fechar os olhos e imaginar o Espírito Santo enchendo seus pulmões como o ar.
De fato tem sido o Senhor a ti mais do que o ar que respira? Quando o ar entra, passa por nossas narinas para que seja purificado da sujeira de fora. Assim, quando ouvimos uma pregação, precisamos filtrar a sujeira do mundo que vem misturada, afinal, os pregadores somos nós, homens. Depois o ar é aquecido. Assim, a palavra de Deus precisa do Fogo do Espírito Santo. Enfim, quando está dentro de nós o oxigênio é separado dos demais elementos e sintetizado ao nosso ser, através da corrente sanguínea chegando até mesmo ao coração e ao cérebro. Assim a cada aspirada nos enchemos da Palavra de Deus, e a palavra rema para o momento é assimilada em nosso ser.
O oxigênio é uma fonte importantíssima de energia para nosso corpo. Porém o mesmo ar que nos dá vida acaba por tirar ela também. O oxigênio é um poderoso agente de envelhecimento. Assim Deus dá e tira a vida, e para aqueles que o seguem, torna a dar novamente, por toda a eternidade.
Respire fundo... Encha-se da presença do Senhor. Invoque o Espírito Santo em cada respiração.

Quem não entrará?

     Analisando as escrituras, encontramos alguns textos que deixam bem claras algumas questões. Por exemplo: Quem não entrará no céu? Isso cabe a Deus julgar. Porém existem vários versículos que nos dão entendimento a respeito desta questão. Hoje quero me deter em um versículo de apocalipse.
“Mas os covardes, os incrédulos, os depravados, os assassinos, os que cometem imoralidade sexual, os que praticam a feitiçaria, os idólatras e todos os mentirosos – o lugar deles será no lago de fogo que arde em enxofre. Esta é a segundo morte”. Ap 21.8.
Tenho seguidamente insistido que precisamos pregar um evangelho completo as pessoas, pois Jesus veio para termos vida e vida em abundância. De modo inverso, Satanás não deseja apenas trazer morte eterna, mas, tormento grandioso já nesta vida.
Os covardes vivem já nesta terra em constante ansiedade e falta de paz. Medrosos, deixam-se levar pelo mundo, sem coragem para confrontar o inimigo. Eles baixam a cabeça para tudo, sofrem e apenas dizem que “a vida é assim mesmo”...
Os incrédulos não podem ter paz ou segurança alguma. Sua vida é um tormento. Não existe sentido para sua existência pois não creem. E se não creem só lhes resta viver pela força de seus próprios braços e contar com suas míseras forças. Todo tempo que tem é o agora, pois não enxergar existência pós-terra.
Os depravados e os que praticam imoralidade sexual, são infelizes, porque jamais ficam satisfeitos, são como um saco furado que nunca enche. Qual animais, andam de uma lado para o outro procurando o melhor pedaço de carne. Não tem governo sobre si mesmos, guiados por seus próprios extintos são meramente morada de demônios e sua vida é miserável.
Contra os assassinos, clama dia e noite o sangue dos inocentes. E como existem assassinos. Desde o marido que anula a existência de sua esposa como se fosse mero objeto, até o alto empresário que explora seus funcionários. Matam, destroem, odeiam. Não existe lugar onde possam estar tranquilos, pois tudo lhes persegue.
Os que praticam feitiçaria, não desfrutam de vida própria, são transformados em meras marionetes das entidades a quem servem e além de não viverem esta vida, também morreram a próxima morte. Sua vida é medo e tristeza. Os idólatras de modo semelhante, são escravos dos demônios que adoram.
Por fim, os mentirosos. E neste grupo se enquadra todo tipo de gente. É gigante o número dos mentirosos, espalhados até mesmo dentro das igrejas.
O que nos resta? Deixar que a misericórdia do Senhor nos alcance e mova nosso coração na direção desta maioria mundial. Precisamos amá-los e quebrar as algemas que os prendem. Se nosso coração não se compadece deles, possivelmente é porque nos mesmos fazemos parte desta lista... Isso é assustador.

O farizeu

Por favor não ria de meus desenhos infantis. Eu tento espressar o que está dentro da cabeça, mas me falta habilidade.

Em busca da paz: O pescador e o chacreiro.

Paz. Quem não a deseja? Mesmo quem não a conhece, mesmo quem diz amar a guerra, todos buscam paz. Os guerreiros empunham a espada. Qual seu objetivo? Derrotar o inimigo para ter paz.
O pai trabalha, a mãe também. Estão se economizando para terem um filho e não querem ficar em uma correria desenfreada por recursos de ultima hora para criar o infante; o que buscam senão paz para cria-lo?
O rapaz que foi expulso de casa porque engravidou uma moça, sai perambulando e resolve usar drogas para ‘viajar’, fugir um pouco da realidade: Ele deseja um minuto de paz!
Hitler e Stalin? Impuseram aquilo que julgavam ser o melhor e ao final, anelavam ter paz para reinar em um mundo melhor...
Os que buscam poder, os que buscam fama... Correm desesperados atrás de paz. Feiticeiros e o bom padeiro da esquina, também querem paz. O lavrador que cuida com tanto cuidado de seus bois e recusa as facilidades da cidade, preferindo antes o doce som da cachoeira, julga ser aquele um lugar onde poderá encontrar a paz.
Alguns dizem que ela está escondida atrás de uma colina chamada “muito” e outros dizem que ela está no pólen de uma flor denominada “simplicidade”.
No antigo testamento, a paz era até mesmo a saudação entre o povo de Deus, costume que hoje não difere muito. Porém, hoje não compreendemos todo o sentido de dizer “A paz do Senhor” ou “Graça e paz”.
A paz de Cristo é algo muito maior do que tranquilidade. Essa paz é o que chega mais perto de aquilo que chamamos de felicidade (acho que Ed René falou isto ou algo semelhante).
Em primeiro lugar, não podemos ter paz em um estado de constante transgressão. Uma coisa é o filho relapso que por não estudar sempre tem dificuldade no ler. Outra é o filho dedicado que ainda assim tropeça em muitas palavras. Sem paz? Tens sido um filho dedicado? Precisamos abandonar o pecado, nos dedicarmos ao amor.
Em segundo lugar, quero te dizer que sem trabalho não existe paz. Você existe para servir. Quando não trabalhamos perdemos nossa identidade e sentido, logo, ficamos ansiosos correndo atrás de mil coisas sem nunca encontrar a saciedade. Você precisa encontrar em Deus sua vocação e trabalhar intensamente nisto! Muitas pessoas não tem paz porque não trabalham ou, trabalham em algo que o Senhor nunca desejou. Mais do que ser trabalhador, falo do termo bíblico servo (escravo). Sem trabalharmos uns para os outros, não teremos paz, pois, Deus não nos criou para o egoísmo nem para o orgulho. Ele nos fez seres comunitários!
E agora, o principal. Sem um relacionamento verdadeiro com Deus é impossível ter paz! Jesus é o príncipe da paz. De modo que sem Jesus em sua vida não existe paz! Ora, se você possui uma fazenda com um belo açude cheio de peixes e eu quero pescar todos os dias, se não pedir, precisarei furtivamente pesca-los durante a noite, todavia, antes do nascer do sol precisarei estar longe e a cada dia estarei correndo o risco de me dar muito mal. Melhor será se eu pedir a você que me deixe morar em sua chácara e pescar nela todos os dias! Assim sem medo, poderei sempre pescar! Jesus é o dono desta chácara. Alguns por atalhos tentam roubar alguns peixes, mal sabem que o dono da chácara deseja que nela habitem e pesquem quanto peixes desejarem!
A paz existe quando estamos bem com Deus, conosco e com o próximo. Sem paz adoecemos, brigamos... Estragamos tudo, pois uma pessoa sem paz é qual fera descontrolada, destruindo tudo ao seu redor. Sem paz, perdemos o emprego, a família... Sem paz, muitos acabam buscando, em um último grito de desespero, um minuto de paz no suicídio, nas drogas, na libertinagem. Entretanto em tais lugares não poderão encontra-la.
Concerte sua vida com Deus e não importa o que aconteça ao seu redor, a paz reinará em teu coração.

“Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo”. [Jesus Cristo] Jo 14.27

Deus é amor (áudio)

Emfim a versão em áudio da mensagem "Deus é amor". Faça download AQUI ou ouça no player abaixo.

Para quem tem filho homem: Como educá-lo?

 Por: Patrice Lewis
Recentemente, li um artigo extraordinário sobre o assunto do motivo por que tantos rapazes estão revoltados, chateados e rebeldes. A escritora desse artigo (Tiffani) tem cinco filhos, inclusive dois meninos com as idades de 14 e 2 anos. No laboratório de uma vida familiar feliz, estável e caótica, ela criou essa louca teoria: de que os meninos precisam de homens para lhes ensinar a ser homens. Loucura, não é?
À medida que Tiffani observava os padrões morais, atitudes, ética profissional e senso de responsabilidade da sociedade se deteriorarem, ela não conseguia deixar de especular se a falta de um homem forte na vida dos meninos os transforma de “doces, amorosos menininhos corados” em adolescentes monstruosos. E ela ficou pensando… será que a rebelião na adolescência é uma fase natural da vida, ou será que é causada por algo de que os meninos têm falta?
A premissa da teoria de Tiffani é que as mães precisam saber quando se retirar e deixar seus filhos do sexo masculino aprenderem a ser homens sob a tutela de seus pais (ou figuras paternas). Como todas as mães, Tiffani quer proteger seus meninos de ferimentos. Mas isso é bom a longo prazo? Talvez não. Tiffani está aprendendo quando afastar-se e deixar seu marido assumir a orientação de seus meninos.
À medida que amadurecem, os meninos nem sempre vão querer — ou precisar — proteção. Eles precisam de desafios, aventuras e atos de cavalheirismo. Os pais — os pais fortes — sabem quando afastar a proteção das mães e começar a treinar seus filhos a serem homens. A palavra-chave é treinamento.
O treinamento é decisivo. Meninos sem treinamento crescem e se tornam monstruosos: fora de controle, predatórios em cima das mulheres, irresponsáveis, incapazes ou indispostos a limitar seus impulsos movidos à testosterona para agressão ou sexo. Nossa atual sociedade está toda encardida com os prejuízos que sobraram dos meninos que nunca aprenderam o que é necessário para ser um homem. Lamentavelmente, esses “meninos adultos” muitas vezes procriam indiscriminadamente e despreocupadamente, então se recusam a ser pai para os filhos que eles produzem.
Mas homens treinados transformam a sociedade. Eles trabalham duro. Eles movem coisas pesadas. Eles constroem abrigos. Eles protegem, defendem e resgatam. Eles providenciam provisão para suas famílias. Eles fazem todas as coisas assustadoras, feias e sujas que as mulheres não conseguem (ou não querem) fazer. Homens treinados são, nas palavras do colunista Dennis Prager, a glória da civilização.
Conforme aponta Tiffani, os meninos precisam de homens para ajudá-los a estabelecer sua masculinidade de modo apropriado. Os homens entendem que os meninos precisam de experiências e desafios definidores para cumprir seus papéis biologicamente programados. As mulheres não entendem isso, mas não tem problema. Pais fortes (ou figuras paternas fortes) instintivamente intervirão e começarão a treinar os meninos como domar a testosterona, como trabalhar, como respeitar as mulheres, como liderar e defender e como eliminar ameaças.
O problema começa quando não há um modelo de papel masculino para um menino imitar. Se os homens estão ausentes, enfraquecidos ou indispostos a ensinar os meninos como se conduzir, então os meninos não aprendem como ser homens. É simples assim.
As mães não têm a capacidade de ensinar os meninos a ser homens. Não importa quanto amemos nossos filhos do sexo masculino, não temos essa capacidade. As mães querem ser mães porque, afinal, é o que fazemos. Protegemos, cuidamos e beijamos as feridas dos nossos meninos. Mas chega uma hora na vida de todo menino em que ele precisa se erguer acima dos beijos nas feridas e ser um homem.
Os homens não dão beijos nas feridas. É assim que eles se tornam guerreiros e protetores.
Lembro-me de quando o filho de 13 anos de nosso vizinho andou de bicicleta até nossa casa, uma distância de um quilometro e meio em difícil estrada de terra. Ele levou um tombo desagradável e chegou coberto de arranhões e sangue. Quando lhe perguntei o que havia acontecido, ele explicou sobre o tombo… então acrescentou um sorriso radiante: “Mas não tem problema. Sou menino”. Não é preciso dizer mais nada.
Se eu tivesse me descabelado com a situação dele, falando carinhosamente, agindo de forma excessivamente preocupada e beijando seus machucados, eu teria roubado dele a aventura de ter sobrevivido de seu acidente. Ele se orgulhou das cicatrizes de sua batalha, e a última coisa que ele queria era cobri-las com ataduras infantis.
O que acontece quando os meninos não têm um homem forte para lhes ensinar? Os resultados variam de indivíduos fracos e covardes a totais brigões. Dou um exemplo em meu blog sobre uma mulher dominadora com um marido fraco criando dois filhos do sexo masculino. Esses meninos estão crescendo num lar torcido e desordenado que vai contra a natureza humana e a programação biológica, e os meninos vão virar homens abrutalhados.
Meninos que crescem com nada senão a “proteção” de suas mães — sem nenhum homem forte para lhes dar a chance de acabarem com as ameaças — se tornam revoltados e cheios de amargura. Eles sabem que algo está errado. Eles sabem que têm de defender as mulheres, mas eles guardam tanto ressentimento de suas mães por “protegerem” a eles de todos os desafios que o modo como eles veem as mulheres fica distorcido.
Se o marido dessa mulher tivesse desempenhando seu papel como cabeça da casa, esses meninos poderiam ter se tornado homens diferentes. Se ele tivesse resgatado seus filhos do perpétuo amor protetor de sua esposa, seus filhos poderiam ser Homens em Treinamento em vez de Futuros Abrutalhados. Mas temo que seja tarde demais.
Creio que uma parte de criar filhos fortes e equilibrados vem de meninos observando suas mães honrarem seu pai. O lar em que a mãe e o pai respeitam um ao outro por suas várias forças biológicas cria os filhos da forma mais estável e equilibrada possível.
Meu marido e eu não temos filhos para criar e se tornarem homens. Mas nossas meninas estão aprendendo a admirar a verdadeira masculinidade, não potenciais abrutalhados ou fracos e covardes. Ajuda tremendamente que, em nossa vizinhança, estejamos cercados de pais responsáveis que estão criando excelentes rapazes — fortes, prontos para ajudar, protetores das mulheres, ansiando serem heróis.
Com que tipo de homem você pensa que quero que minhas filhas casem algum dia? O Homem de Verdade que assume seu papel biológico de protetor e guerreiro? Ou o Rapaz Revoltado que xinga a mãe e despreza o pai? Qual lhe parece o homem mais equilibrado e firme?
Nada disso é difícil demais de entender — ou, pelo menos, não devia. Infelizmente na cultura andrógina feminista de hoje, esse conceito se tornou motivo de desprezo e zombaria.

Patrice Lewis é uma escritora independente e autora do livro “The Home Craft Business: How to Make it Survive and Thrive” (Empresa Doméstica de Artesanato: Como Fazê-la Sobreviver e Prosperar). Ela é cofundadora (com seu marido) de uma empresa doméstica de artigos de madeira. O casal Lewis vive em Idaho, educando em casa suas duas filhas e cuidando de seu gado. Visite o blog dela: http://www.patricelewis.blogspot.com/

Deus é amor - parte II

(Leia a parte-1)
Agora que já vimos um pouco sobre amor, eu quero lhe fazer uma série de perguntas que vão te ajudar a descobrir se você está se tornando amor ou não.
Primeira: Qual o sentido da sua existência. Por que você está aqui hoje. Qual sua função, quem é você? Como vamos poder amar se não sabemos por que existimos? Se você não sabe sua função nesta sociedade, como vai servir? Deus te criou para amar. Como Ele deseja que você manifeste seu amor? Quer uma ajuda para descobrir? Então pense um pouco. O que você faz de melhor? Tem usado isso em prol do Reino de Deus servindo ao próximo? O motivo da vinda de Jesus a terra era amar e amar servindo os homens através do ensino, do exemplo e dá cruz. Deus não cria ninguém para viver isolado, Ele nos fez seres interdependentes e por isso, necessariamente, ‘interservidores’.
Segunda: Qual seu legado? Que marca sua vai ficar sobre esta terra quando nela você não mais estiver? Existe um ditado que diz que ‘todo mundo quando morre vira santo’. Fazendo referência ao fato de que na hora da morte a tendência dos clérigos é falar bem da pessoa no velório. Pode até ser uma tendência, mas a realidade é que o inferno estará cheio de pessoas boas! A questão é “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” 1Jo 5.12. Além das palavras bonitas que eventualmente poderão ser ditas a teu respeito em um funeral, que mais falarão a teu respeito?
Terceira: Você tem vivido ou vegetado? Tem sido apenas mais uma engrenagem do sistema, mais um animal que nasce, cresce, se reproduz, envelhece e morre ou construído uma história recheada de decisões, conquistas, lutas, tristezas e alegrias? Você é organizado ou suicida? O organizado controla sua agenda enquanto o suicida dá a ela o poder de controla-lo. Indago: Isso é ser trabalhador ou pecador? Afinal, descansar é um mandamento. O contrário também deve ser analisado. De fato não tens tempo para nada ou és um desorganizado?
Quarta: Qual a diferença entre você outra pessoa que te faz único? Tenho dito que “Deus pinta quadros, o diabo faz fotocopias”. O Senhor te fez com particularidades, único. O projeto de Satanás e te descaracterizar, deixa-lo impessoal, pois, não existe amor na impessoalidade. Que tal deixar de ser mero produto do meio em que vive e tornar-se um agente de transformação? Existe um música que diz “deixa a vida me levar”... Não! Rejeite ser mera extensão do mundinho de seu televisor. Rejeite a ditadura do marketing!
 O que você faz que ninguém faz? Onde você é insubstituível? A família é um bom lugar. Se você é o pai, ninguém mais pode sê-lo. Você é a esposa, então é insubstituível para seu marido. Estas individualidades devem influenciar na sua escolha de suas prioridades.
Quinta: Quais suas prioridades? Aquilo que você prioriza será aquilo que irá buscar. Quais seus alvos a curto, médio e longo prazo? Falta de organização e projetos denota falta de amor a si mesmo. Pessoas que não tem projetos estão demonstrando desinteresse pela vida e até mesmo podendo evidenciar uma forma de suicídio psicológico. Onde você está hoje e onde quer chegar amanha? “A dor de quem te chama á atenção? Aquilo que te tira do sério é um sinal do problema que você nasceu para resolver.” Mike Murdock.
Sexta: Você é relevante? Músculos não usados atrofiam, conhecimentos não utilizados são esquecidos e pessoas irrelevantes são esquecidas. Qual a importância que você dá às pessoas com quem se relaciona diariamente? O ser humano se relaciona primeiramente emocionalmente e depois intelectualmente. Por mais eloquente ou eficiente que sejas, se você não amar, não trará grandes contribuições aos que te cercam. Por mais que te amem e admirem, a falta de amor sempre será um mau exemplo e culminará na infelicidade, pois é a perca da semelhança de Deus. Quem procura sucesso sem amor é Satanás. Quer ser realmente importante na vida de alguém? Então comece amando esta pessoa e prossiga servindo ela com seus dons.
Sétima: Você pode ser mais eficiente? Eficiente é a equação entre quantidade e qualidade. Antes, era uma característica da sociedade ocidental, primeiro europeia e depois norte americana, hoje já atinge até a Ásia: O ativismo. As pessoas estão viciadas em trabalhar, trabalhar, trabalhar. Produzir, produzir, produzir. Deixam até mesmo de cultuar a Deus por causa do trabalho. Falta de amor a Deus. Deixam de cuidar da família e dos amigos. Falta de amor ao próximo.  E adoecem por falta de descanso. Falta de amor a si. Isso é projeto de Satanás que veio para roubar, matar e destruir. Abra os olhos para ver o belo! O por do sol, as crianças brincando... Correr, nadar, praticar um esporte, ter um hobby! Seja feliz!
Se por um lado o inimigo tenta nos distrair da vida com o ativismo e consumismo, por outro tenta nos subtrair da existência com o comodismo. Assim, a pessoa vai aos poucos ‘se entregando’, desistindo de viver, enterrando seus talentos (Mt 25.14ss). Deixando assim de amar, pois quem não cultua a Deus e não serve ao próximo não ama. Como dissemos no começo, Deus amou e deu Seu filho. O amor é servo e doador! Quando nos privamos de ‘crescer’, privamo-nos também de oferecer um melhor culto e serviço. No que você pode ser mais eficiente? Precisa trabalhar mais ou menos? Está na hora de se aperfeiçoar? Vejamos a seguir...
Oitava: Está te faltando ousadia? Não tenha medo do novo! Ouse, tenha coragem! A Bíblia declara 365 vezes: Não temas! Será que não está na hora de você tomar coragem e se envolver mais na obra? Começar uma faculdade? Até mesmo iniciar um curso ou começar a fazer algum esporte. Muitas vezes o maior inimigo do definitivo é o provisório: Será esse o tempo de pintar a casa? Terminar as coisas que já começou? O folego para correr não pode ser armazenado, ele é aspirado durante a corrida! Então não diga que não tem forças ou não consegue! Comece de novo, mova-se! Ou nos reciclamos ou obsoletos e o que não tem serventia, vai aos poucos sendo descartado.
Nona: Tem andado ansioso? “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” Mc 6.33. Deixe a ansiedade de lado. A pré-ocupação tira o tempo que você teria a disposição para agir! Atire-se nos braços do Pai. Creia, confie! Ele é contigo! Aleluia!
Décima: Você ama? De fato você ama Deus, ao próximo e a sim? Onde existe amor, existe a paz e a felicidade, mesmo em meio às dificuldades. Porque quando o marido perde o emprego, pode procurar em paz por um emprego, sabendo que sua esposa o ama e não ao dinheiro que tinha. Porque onde há amor, o filho pode ter coragem de mostrar a nota ruim para a mãe, pois sabe, que mesmo no caso de ser disciplinado, isso será para seu bem. Onde existe amor, as coisas são feitas de boa vontade, existe espaço para as diferenças e sabemos que seremos amados independentemente do pecado que tenhamos cometido. Infelizmente, muitos, mesmo sendo tão amados, optam por seguir para o inferno. Quero te dizer que mesmo que você não ame Deus, Ele te ama e respeitará sua decisão. Quero te dizer que nós, Igreja de Cristo, temos o dever de como o Pai, continuar amando mesmo aqueles que não nos amam e nos ferem. Também, que devemos amar a nós mesmos. Não com o amor egoísta que a Bíblia condena, mas com o amor que a trindade se ama.
Deus é amor. Espero que você e eu possamos nos tornar a cada dia mais amor e menos egoísmo. Mais amor e menos morte. Mais divinos e menos infernais. Que o Espírito Santo nos capacite para isso. Amém. 
Em breve em áudio!

Reforma Familiar - áudio.

Como prometido, aqui está o audio da mensagem que preguei no dia da Reforma Protestante e fala sobre reformarmos nossas famílias. Faça o download AQUI ou ouça abaixo.

Deus é amor - parte I

Todo cristão sabe ou deveria saber, a premissa que está na boca até mesmo de muitos pagãos: Deus é amor! Isso é fundamental e Bíblico. Ou cremos de fato nisto ou todo o restante de nossa fé estará comprometida. É a essência Divina do amor que sustenta nossa vida nesta terra. Se agisse meramente por justiça, ou poder, ou ética... Não teríamos nem mesmo sido criados. Porém da mesma maneira como Ele nos amou para nos criar, nos ama para nos manter vivos e levar aqueles que creem em Jesus Cristo para morarem com Ele eternamente.
Tira-se o amor do Cristianismo, tirou-se tudo. O amor é a base para o perdão, para o serviço, para a fé... Amor. Deus é amor. Leiamos 1Jo 4.7-21. Deus é amor. Como sabemos disse? Ele enviou Jesus para morrer por nós. Ora, a ‘prova’ de amor de Deus foi ‘doar, morrer, servir´... O único caminho para a felicidade e realização pessoal é o amor, logo, a ‘vida para fora’. Para fora de nosso mundinho de egoísmo, de orgulho e ganância. A felicidade está no amor e o amor dá, serve, se entrega. Deus é amor e é feliz. Como imagem d’Ele só alcançamos a felicidade, o sentimento de completude (plenitude) de vida, quando, à semelhança d’Ele, nos tornamos amor.
Existe uma pessoa que muito amo e admiro em quem tenho visto esse amor. Minha avó. Muitas vezes vi pessoas abusarem de sua boa vontade. E como ela reagia? Servindo e doando seu tempo, seus recursos... Mesmo quando era usada de forma egoísta por outros, ela não revidava. Minha avó muitas vezes é amor, e é uma pessoa feliz. Dispor-se a amar é dispor-se a sofrer.
Felicidade não é ausência de problemas. Justo o contrário, o amor traz problemas e como os atrai! Quanto mais amamos alguém, mais os problemas dessa pessoa tornam-se também os nossos. Esta semana uma mãe veio pedir oração por seu filho que está com muitos problemas sérios. Fui insensível o bastante para perguntar a ela se ‘no mais’ estava ‘tudo bem’. Claro que não! Como poderia estar bem se o filho que ela tanto ama está em perigo? Amar é também sofrer. Jesus nos amou tanto, que nosso maior problema, o pecado, veio sobre Ele e lhe custou a vida! Muitas vezes os pais, tanto amando os filhos, ficam junto ao leito, mesmo sabendo que a doença é contagiosa. Quando amamos uns aos outros, mostramos que somos filhos de Deus! Quando nos doamos ao próximo, mostramos que amamos. Como se doar? Doar-se em usar seus dons naturais para o bem coletivo, emprestando os ouvidos para ouvir e o ombro para chorar... Dedicando-se a orar por essa pessoa... Quando amamos uns aos outros, mostramos que estamos em Cristo e Ele em nós. A marca do cristão é amar! Essa deveria ser nosso estigma: O amor! Nunca foi desejo de Deus que a marca mais evidente de um cristão fosse sua maneira de vestir ou seus altos padrões morais e intelectuais. Muito menos suas liturgias e simpatias. Antes disso, que fossem conhecidos primeiramente por ser o povo que ama! Assim, dizer ‘olhe lá os crentes indo para a igreja’ deveria significar: Veja aquele povo diferente, que vive ajudando todo mundo, inclusive nós, está indo para o culto. Até mesmo os 10 mandamentos se resumem em amar a Deus, ao próximo e a si mesmo! Leia e veja! Não ser idólatra é um mandamento de amor a Deus. Não matar, amor ao próximo, santificar o dia do descanso, amor a si.
Leia a parte-II
Seja informado em seu e-mail sobre as próximas mensagens da série clicando aqui.

Reforma Familiar

Você sabe que dia é hoje? Hoje, 31 de outubro de 2010. (data da pregação). O que esse dia te lembra? Que fato marcante? Sim, as eleições, afinal, elas podem mudar o Brasil. Porém, esse dia me lembra de um fato que impactou muito mais do que o Brasil. Um fato que aconteceu há 493 anos atrás.
Em 31 de outubro de 1517, o monge alemão Martin Lutero pregou na igreja do Castelo de Wittenberg suas 95 teses, dando início à reforma protestante. Lutero foi expulso da igreja católica por defender que muitas das práticas romanas eram contrárias a Bíblia, assim, começava a surgir a Reforma Protestante.
Como reformar uma família? Comece por você! Leia 2Cr 29.1-11
Quem tem governado você? Quando que você vai assumir o governo de sua vida? Por acaso a Bíblia não nos ensina sobre o domínio próprio? Devemos ser senhores de nós mesmos, termos governo sobre nossas vidas, para que possamos ser governados pelo Senhor. Como o lavrador precisa dominar os bois para conseguir obedecer seu patrão, também nós, dominar nossa vida para poder submetê-la a Jesus. Da mesma maneira o motorista de ônibus, precisa ser ´senhor´ do veículo para que possa então submete-lo ao patrão. Se o empregado faz isso quanto mais o servo!
Sua mãe se chamava Abia. Ezequias não surgira do nada, ele tinha história, família... Assim como você e eu. Eu quero te dizer meu amado, você não está neste mundo por acaso ou desconexo de tudo. Você está ligado a uma unidade humana através de vínculos familiares. Sim, conhecendo ou não sua família, seus antepassados, eles tem grande influência sobre sua vida. Em minha família cultiva-se o costume das genealogias, de modo que sabemos quem são nossos parentes até muito longe. E observando a história deles nos damos conta de como influenciam, nossas vidas até hoje, uma espécie de herança de estilo de vida.
Essa herança pode nos trazer muitos benefícios. Porém, sempre, trará juntamente com os benefícios, malefícios. Geralmente, as coisas já começam errado dentro de casa. Para educar a criança, os pais normalmente recorrem à barganha (faça isso que te dou aquilo), ameaças, mentiras (acabaram as balas), gritos e espancamento (diferente de disciplina). Vemos nossos pais brigando e muitos dos que aqui estão já foram até mesmo espancados e talvez até alguns molestados. Nossa família nos influencia enormemente.
Eu quero hoje te desafiar a pregar suas teses no castelo de sua vida! O que está errado em você que é herança de sua família? Que erros você tem visto em sua família que não quer repetir? Que erros você mesmo tem cometido e vê que muitos outros de sua família também cometem?
Na família de Saul temos um bom e um mau exemplo. Jonatas, filho de Saul, não aceitou a ira de seu pai contra Davi. Mical manteve a postura orgulhosa de seu pai e acabou trazendo sérios prejuízos no seu casamento com Davi.
No versículo 2 vemos que Ezequias “Fez ele o que era reto perante o Senhor, segundo tudo quanto fizera Davi, seu pai”. Davi não era seu pai, mas seu antepassado. Ezequias identificou-se com Davi. Na sua família existem casos assim, onde dizem “você parece seu tio” ou “como você lembra sua avó”? Pior ainda, algumas vezes esta semelhança é constatada em forma de maldição: “Você vai virar pinguço igual o pai”! “Você vai ser uma vagabunda igual sua tia”!
Temos um laço de sangue com nossos familiares. Querendo ou não admitir existe muito em comum. Mas a partir do momento em que recebemos Jesus como Senhor e salvador começamos a lutar para cortar de nossas vidas tudo aquilo que é contrário a Palavra do Senhor. E algumas coisas, parecem tão difíceis de serem vencidas e dizemos: “Mas isso é coisa da nossa família, todos temos esse problema”. Justamente, isso precisar ser quebrado de sua vida! Pregue suas 95 teses na porta do seu coração! É hora de nos apropriarmos das virtudes da nova família a qual pertencemos, a família do Reino de Deus. Precisamos identificar estas falhas, estes defeitos familiares e quebra-los.
Existem espíritos malignos que atuam sobre as famílias, influenciando seus membros ao pecado. Existem famílias sendo corroídas pelo divórcio. Geração após geração pessoas dessa família não conseguem vencer no matrimônio. Outras têm problema com álcool e geração após geração apresenta vários alcoólatras. Em algumas famílias, existe até mesmo uma cultura de suicídio! Outras, facilidade para o vício. Existem ainda famílias sendo destruídas pelo câncer ou outra doença.
Sabemos que isso vem do Maligno, porque veio para Roubar, Matar e Destruir. Existem 3 fontes principais para isto que quero chamar de Maldições familiares.
1.              Genética: Nossa formação genética influencia mais do que imaginamos sobre nós, inclusive nas questão das doenças, não podemos negar isso. No caso da genética, apenas podemos tomar cuidado, pois não existe como muda-la. Exceto por milagre.
2.             Cultura: A família cria uma cultura de pecado. Hábitos pecaminosos dos pais são vistos e repetidos pelos filhos que por sua vez passam para os netos. O sobrinho vê o tio adulterar e adultera. O irmão mais novo vê o mais velho fornicar e ele mesmo acaba mantendo relações sexuais antes do casamento.
3.             Demônios: Os demônios são muito espertos e procuram todas as brechas possíveis para dominar uma pessoa. Muitas vezes, quando um pai falece, demônios que moravam nele procuram os filhos para agora morar. Outras, os pais acabam autorizando o agir de Satanás sobre a vida dos filhos, através de benzeduras, trabalhos, simpatias e maldições.
Existe apenas uma forma de lutar contra essas maldições. O primeiro passo é que você precisa se converter! Precisa entregar sua vida a Jesus Cristo realmente e deixar que Ele seja teu Senhor e Salvador. Feito isso, identifique quais as maldições familiares que você carrega. Quais os pecados que tem seguido sua família geração após geração e agora estão em sua vida?
O segundo passo identificar o problema. Para ser liberto você precisa saber o que ou quem te prende. Qual seu problema? Alcoolismo, vícios de jogo, prostituição, adultério, mentira, roubo, feitiçaria?
O terceiro passo é rejeitar a iniquidade. Como Ezequias que identificou o erro de seus antepassados e os rejeitou (aos erros, não a família). Mesmo se você não pratica estas coisas, mas vem de uma família que as pratica, precisa tomar uma posição espiritual de separação e oposição a estes espíritos familiares. Vamos orar e quebrar todo laço com as trevas no nome de Jesus. Tome posse de tudo aqui que Jesus já fez por ti na cruz!
Êxodo 20.5 nos mostra que Deus visita a iniquidade dos pais nas gerações seguintes. Deus não castiga o filho pelo pecado do pai. Porém, se o filho continuar a viver no mesmo estilo pecaminoso, sofrerá as mesmas consequencias de seus antepassados que assim viveram.
O quarto passo é agir! A lâmpada que deveria ficar dia e noite acesa estava apagada, o povo não estava santificado... Era hora de agir. Ezequias rompeu com a tradição dos reis maus e ordenou que o templo fosse purificado e o culto a Deus fosse restaurado. Também realizou a celebração da páscoa mais impressionante dos últimos anos. Ele se esforçou e agiu!
Agora é sua vez: Este é o dia que o Senhor escolheu para tua libertação. Este é o dia que o Senhor escolheu para que você quebre as maldições de sua vida, sejam culturais ou espirituais. Vamos expulsar estes demônios! Mas lembre-se: “Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém não encontra. Por isso, diz: Voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada. Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro”. Mt 12.43-45.
Hoje é o dia, de começar uma reforma em sua família. Não repita dos mesmos erros.
Recomendo que ouçam o audio desta pregação que em breve estará aqui disponível, contendo muitos outros exemplos e mais detalhado.
Grande abraço.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...