Sacrifícios Inúteis

Hebreus 10.11-14 “11Ora, todo sacerdote se apresenta, dia após dia, a exercer o serviço sagrado e a oferecer muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca jamais podem remover pecados; 12Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus, 13aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dos seus pés. 14Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados”.

Agora voltou a moda o rito antigo dos judeus: Sacrifício. Está na moda esta palavra. “Quem quer ser abençoado, sacrifica na presença e Deus” é o que dizem por ai. E então começa uma onda de “faça um sacrifício de R$ 100,00” ou “sacrifique um dia construindo o novo tempo”. Ah, tudo bem se querem ficar com seus próprios sacrifícios diariamente oferecidos, eu também já pensei assim. Tanto que um dia, na hora das ofertas eu disse: “No Antigo Testamento se ofereciam pombas, cordeiros e outros animais, agora, podemos oferecer onças, araras e quem sabe até mesmo peixes”... Por favor, não me prendam por estelionato porque já faz anos que me arrependi disso. Enfim, hoje prefiro confiar no sacrifício de Jesus. Creio com todas as forças de meu coração de que ele foi suficiente de uma vez por todas e que ‘pela graça mediante fé’ neste Cristo recebo a salvação (cf. Ef 2.8). Todavia espero que não descubram tarde demais que seus sacrifícios não valem nada, e que vão para o inferno se sua confiança não estiver depositada unicamente em Jesus Cristo.

Calma, não estou bravo não. Como diz minha irmã: “Ado, ado, ado, cada um no seu quadrado”. Se bem que eu não estou mais no quadrado. Cansei dessa teologia ‘xerocada’ que está na maioria das igrejas. De fato, a verdade é Única, mas é uma Pessoa, por tal, é relacional e não estática (Leia TSV-I)

Ok, existe o ‘sacrifício vivo’ de Rm 12.1. E se é ‘vivo’ como pode ser ‘sacrifício’? Bom, se Cristo é o único sacrifício válido, me amparo em meu batismo, onde fui feito um na morte (sacrifício) e ressurreição de Cristo (Rm 6.3-4). Assim, quando cultuo a Deus em meu culto racional, torno-me sacrifício vivo, porque morri e ressuscitei em Jesus para a Vida Eterna.

E o sacrifício de louvor de Hb 13.15? Encerra-se sobre o mesmo ponto do acima. “Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome”. Perceba que o tal ‘sacrifício’ é por meio de Jesus. Em outras palavras, confessamos Jesus como nosso salvador e chegamos diante do Pai, e o adoramos pelo sacrifício oferecido de uma vez por todas, Jesus. Assim, louvemos a Deus em todos os momentos de nossa vida, oferecendo com nossos lábios a memória da eficácia do Sangue de Jesus.

Partindo destes acima, passo a algumas breves observações.

Da vida eterna

A salvação é um presente, e não podemos adquiri-la de qualquer outra forma. Ef 2.8 “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; 9não de obras, para que ninguém se glorie”.

Das bênçãos

A maior bênção é Jesus, antes de nos criar, ter decidido nos salvar (1Pe 1.19-20). Deus não pode ser extorquido ou subornado por ‘sacrifícios’ humanos. Deus não é tirano. Não lhe parece bem que as pessoas caminhem de joelhos até sangrar, jejuem até desmaiarem e deem todo seu dinheiro para alguns poucos andarem de jatinho para em troca, receberem uma bênção. Por que Deus sentiria prazer em torturar seus filhos? Que idiotice! Todas as coisas ao crente, se encerram no servir a Deus por amor a Ele (Mt 22.37) através de suas obras, estas, resultantes de sua fé (Tg 2.17-28). Para que assim, as pessoas não tenham uma imagem distorcida, como se Deus fosse um opressor, mas para que através de nossas obras glorifiquem a Deus (Mt 5.16).

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário isso nos ajudar a crescer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...