Murmuração X Adoração

Atos 16.23.34

Louvor e murmuração caminham em lados opostos. Um deles traz as bênçãos de Cristo e o outro o enxofre do inferno.

Paulo e Silas, açoitados e posteriormente presos. Qual o comportamento que poderia ser esperado deles? Murmuração. Sim, era bem razoável que esticassem suas línguas em reclamar e maldizer até cansarem e depois pegassem no sono. Não foi o que aconteceu. Começaram a louvor e orar. Enquanto louvavam, o tempo foi passando, a noite chegou. Os demais presos não entendiam muita coisa do que estava se passando. Se bem que, talvez houvessem ali outros cristãos encarcerados, ou pelo menos judeus. De modo analógico, vamos pensar em algumas consequências do louvor em nossas vidas.

1. Os apóstolos cantando, abafaram com suas vozes a voz da circunstância. O louvor nos faz subir a uma dimensão acima da circunstancial. Enquanto eles, sem reclamar da situação, agiam diretamente na mudança dela, os murmuradores apenas poderiam sofrer. Seus olhos focados no fatídico não poderiam tocar no sobrenatural.

2. As línguas de Paulo e Silas estavam calibradas para profetizar. O louvor liga nossa mente aos céus através de nossa língua. A murmuração nos faz amargar as células gustativas no fel. Línguas que louvam apontam para cima, línguas que murmuram são ferinas e apontam para baixo.

3. O louvor gera a fé que agrada a Deus, atraindo seu favor. Louvar quebra as cadeias, liberta. Murmurar aprisiona, limita, acorrenta. Quem adora sobe aos céus, e quanto mais sobe mais se amplia seu horizonte. O murmurador cava um buraco, cada vez mais profundo, tendo cada vez menos visão.

4. E mesmo que o louvador esteja no buraco, sua adoração atrai a luz. A murmuração puxa terra sobre, termina de enterrar. O louvor torna o buraco a glória do futuro, pois o adorador poderá apontar de onde saiu. A murmuração torna o buraco na própria sepultura, puxando terra sobre a própria cabeça.

5. A adoração expõe as feridas. Feridas expostas podem ser tratadas. A murmuração fala das feridas, mas as oculta. Murmuração atrai infecção. Adoração atrai o favor do adorado, que envia cura.

6. O adorador expõe suas fraquezas, diante da grandeza de seu Mestre. O murmurador expõe suas forças e acusa Deus. Como resultado, o adorador tem paz e o murmurador tem medo, esconde-se.

7. Quem tem um coração de adorador tem a alma alimentada. Aos que possuem alma de murmurador, resta um espírito desnutrido, mas sem fome e comendo isopor.

8. Por fim, a adoração honra a Deus e a murmuração pretensiosamente procura desonrá-lo.

Eu decido ser um adorador! Oh Glórias a Deus!

O Paulo, que passou por tudo isso e muito mais (confira 2Co 6.4-10) é o mesmo que diz: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.13). Ele era um adorador de ‘carteirinha’, eu preciso urgentemente aprender isso.

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário isso nos ajudar a crescer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...