Dízimos e ofertas

Gn 14.18-20 “Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; era sacerdote do Deus Altíssimo; abençoou ele a Abrão e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que possui os céus e a terra; e bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus adversários nas tuas mãos. E de tudo lhe deu Abrão o dízimo”.
Observem que fato interessante. Esse episódio que acabamos de ler se refere a um tempo anterior ao judaísmo e ao cristianismo. Isso aconteceu muito antes de Moisés receber a lei e milhares de anos antes de Jesus ensinar sobre a Santa Ceia. De onde então surge esse Melquisedeque? Diz a palavra que ele era rei de Salém, atual Jerusalém. Melquisedeque, se não era o próprio Cristo em uma teofania (Deus em forma de homem), então era no mínimo alguém que recebeu uma revelação muito profunda. Era sacerdote de Deus, em uma escala de intimidade, Melquisedeque era maior que Abraão, visto que ele lhe entrega os dízimos. Além do que, Melquisedeque trazia os elementos da Santa Ceia, pão e vinho. A Aliança que Abraão faz com Deus através de Melquisedeque é uma aliança que envolve dízimo, pão e vinho.
Observem então que o dízimo é uma das primeiras coisas que Deus estabeleceu na fé. Leiamos também o texto de Ml 3.8-12.
Perceba que neste texto deixar de dizimar e ofertar é chamado de “Roubar Deus”. Se roubar já é uma coisa terrível, imagine agora como é infernalmente terrivel roubar Deus! Se alguém que rouba um ser humano já é passível de punição e até do inferno caso não se arrependa quanto mais quem rouba a Deus. Mas como saber se um ladrão se arrependeu mesmo e será perdoado? Simples! Um ladrão arrependido para de roubar! Se você não tem dizimado, está roubando a Deus. E o mesmo se dá com as ofertas. O texto explica que não dar ofertas é roubar a Deus também. E alguém poderá dizer: “Ah, mas oferta é algo voluntário”. Exatamente, é algo voluntário no que se refere à quantidade. Ou seja, você precisa ofertar, mas tem liberdade de escolher a quantia. O dízimo representa 10% do que você ganha e as ofertas são o que você dá além dessa porcentagem.
Dízimo é a forma pela qual você demonstra a Deus que depende d’Ele, que tudo que você tem é d’Ele. Oferta é a forma como você demonstra sua gratidão e confiança a Ele, é sua semente para uma vida melhor. Falando sobre ofertas Paulo diz: “aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará” 2Co 9.6. O texto de Malaquias ainda fala que aqueles que dizimarem e ofertarem verão Deus lhes abençoar de uma forma incrível. Dizimar e ofertar são mecanismos que Deus criou para te abençoar. Sempre que você alegremente dizima e oferta Deus abre os céus e derrama bênçãos sobre sua vida nas mais diversas áreas que você possa imaginar.
Além de dizimar e ofertar dinheiro, você deve ter sua vida no altar do Senhor. Se oferecer a Ele em trabalhos para a obra, como discipulado, evangelismo, visitas, oração. Oferte sua vida na presença do Senhor! Venha para as células e cultos e se entregue completamente a Deus. Feche os olhos, adore com todas as forças de seu coração, ore, ouça a Palavra, O cultue de verdade. Se você apenas aprender as regras do cristianismo, mas não for alguém completamente rendido aos pés de Jesus, não adiantará, será apenas um legalista.
Pergunte para si: Tenho sido fiel nos dízimos, até mesmo nos centavos? Tenho sido um ofertante generoso e alegre? Tenho realmente entregue minha vida, meu tempo, minhas forças como oferta a Deus? Tenho me entregue completamente a Ele durante os cultos, células e demais reuniões?
Se você tem sido um ladrão e roubado a Deus, peça perdão a Ele nesse momento e Ele vai te perdoar pode ter certeza. Mas a prova de seu arrependimento será sua mudança de atitude e sua fidelidade nos dízimos e ofertas daqui por diante, tanto financeiras, como nas demais áreas de sua vida.

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário isso nos ajudar a crescer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...