A perda da Identidade Humana

“Enquanto o homem tentava ser Deus, Deus se fez homem. Enquanto Jesus retomava sua divindade, o homem conseguiu deixar de ser humano. Como não conseguiu ser deus e deixou de ser humano, o homem perdeu sua identidade e virou uma coisa. Agora a coisa precisa encontrar-se com o Deus que se fez homem para voltar a “ser humano””. S.B.K.

Quem habitará o santuário?



   Salmo 15 NVI 1 Salmo davídico.  SENHOR, quem habitará no teu santuário? Quem poderá morar no teu santo monte? 2 Aquele que é íntegro em sua conduta e pratica o que é justo, que de coração fala a verdade 3 e não usa a língua para difamar, que nenhum mal faz ao seu semelhante e não lança calúnia contra o seu próximo, 4 que rejeita quem merece desprezo, mas honra os que temem o SENHOR, que mantém a sua palavra, mesmo quando sai prejudicado, 5 que não empresta o seu dinheiro visando lucro nem aceita suborno contra o inocente. Quem assim procede nunca será abalado!

         Que Salmo lindo! Que meditação poderosa para começarmos nosso final de semana! A noção de habitar no santuário e morar no santo monte está ligada a uma pureza ritual no Antigo Testamento. O salmista então ao indagar por quem teria essa pureza, surpreende ao não citar os tradicionais elementos como o sacrifício e os rituais de purificação... Por quê? Porque a verdadeira pureza, a pureza que nos torna aptos para habitar diante de Deus é muito mais do que atos religiosos externos! Esse final de semana, como sempre, você irá participar do culto. E talvez até mesmo de muitas outras atividades! Mas o Senhor vai olhar para dentro do seu coração e observando se o que você faz é de fato “íntegro” ou apenas um mero sacrifício externo. Se a fé que você vive dentro do seu coração é o que exterioriza ou a uma incongruência em sua personalidade. Se o que faz, o faz por devoção genuína ou por mero hábito religioso. Mas não apenas isso. Fala o salmista sobre praticar o que é justo.
         E o que é justo? Será que é justo nos reunirmos para comer um churrasco sem antes nos lembrarmos de levar algo para as cestas básicas que a Igreja distribui? Será que é justo ir com sua família tomar sorvete na praça e quando lhe pedem uma moeda negar?
         Será que é justo quando pensa em um candidato político, pensar simplesmente em seus próprios interesses e esquecer as demais pessoas da nação? E ainda, será que é justo esconder tesouro tão precioso que é o Evangelho, deixando de convidar pessoas para celebrarem junto contigo o nome do Senhor?
         Justiça e integridade são inseparáveis. Qualquer ato de justiça sem integridade logo vai mostrar-se como arbitrariedade e abuso. Qualquer tentativa de integridade sem luta pela justiça vai se mostrar mera religiosidade.
         O que há de habitar no monte do Senhor não difama. Geralmente difamamos porque não atingimos nossa própria fama. Não conseguimos subir os degraus que trazem o reconhecimento e então buscamos uma maneira de fazer com que aqueles que estão “acima” de nós, ou próximos, desçam alguns degraus e os holofotes venham em nossa direção... Quem faz isso não é íntegro, não é justo!
         Aquele que habita o santuário, não se vangloria, não exalta os ímpios, mas honra os servos do Senhor! Submete-se espontaneamente, e serve aos irmãos com prazer, seguindo o exemplo de Cristo, que sendo o maior se fez menor e serviu a todos.
         E esse que é íntegro, justo, servo de todos... Esse tem compromisso com o que promete. É firme em seus propósitos e não desiste de seus objetivos logo na primeira tempestade. Quem habitará no santuário? Os perseverantes habitarão! Os perseverantes que mesmo naquilo que envolve suas finanças, permanecem fiéis ao Senhor e se recusam a ganhar dinheiro fácil através da exploração, do suborno, da extorsão... Antes, trabalham com seriedade e honestidade.
         Em suma, o salmo mostra que para estar diante da presença do Santo Deus, é preciso ter um caráter tratado, saber lidar com todos os aspectos da vida. E julgar o próximo igual ou superior a si mesmo, de modo que não faça a outrem o que não gostaria que se fizesse a si mesmo.
         A verdadeira pureza ritual, que é necessária para estar no santuário do Senhor, é viver bem com Deus, consigo, com o meio e com o próximo e isso só podemos e conseguimos quando estabelecemos uma relação de intimidade com o Espírito Santo de Deus.

Persevere! O Reino é Maior que nós!


Podem me chamar de doido, podem não gostar. Mas agora está feito. Esse é um artigo sobre Pablo Horácio Guiñazu. E talvez você esteja pensando “o que tem a ver um jogador de futebol com o evangelho”... Leia, tenho certeza que vai ser edificante.
Para começar, eu sei que o Guiña não é evangélico, não estou aqui para falar de sua religião, mas de seu empenho, da maneira como olha para a vida e para os desafios. Guiñazu é simplesmente fantástico! Os torcedores do Inter já criaram muitos mitos a seu respeito e outros feitos são de fato verdadeiros. Quando perguntam para ele se se sente cansado por ser um dos jogadores que mais corre na atualidade, ele simplesmente diz: “Aos 10 minutos do primeiro tempo eu já estou morto, mas continuo morrendo, dou tudo de mim pela equipe!” E de fato vemos Guiña continuar correndo durante os 80 minutos seguintes...
Lá está ele levando carrinho, dando carrinho, levando pancada. Vai para o ataque, volta para a defesa, parece que tem 3 dele em campo... E quando perguntam “Você não sente dor?” ele diz: “Eu sinto muita dor, eu sinto dor como se fosse morrer, mas continuo jogando, vou sempre dar tudo de mim, fazer a minha parte”.
Quando teve seu joelho machucado em um jogo, os médicos do Inter fizeram um furo em seu joelho “concertaram” ele e o cara voltou a campo! Por quê? “Eu dou tudo de mim”. Para Guiñazu, o mais importante é a equipe. Segundo uma entrevista concedida recentemente ao site globo.com, Guiñazu disse que “se você for vogar tênis comigo, pode estar ganhando de 6-0 e ainda vou te fazer suar, porque pra mim não existe situação irreversível, eu luto até o fim!”
Ah se nós crentes aprendêssemos algumas lições com esse homem. Se perseverássemos na fé como ele persevera em um jogo. Se mesmo com as dores e sofrimentos, não murmurássemos, mas continuássemos firmes lutando por nossa “equipe” a Igreja! Se em meio ao corre-corre do dia-a-dia, pudéssemos gritar “to me sentindo morto, mas vou continuar crendo”! Se ao ver uma pessoa enterrada em vícios, drogas e prostituição.. Uma pessoa perdendo de 6-0 pro Diabo nos levantássemos e déssemos um “suador” no capiroto!
 Quando perguntaram para o Argentino Guiñazu “você preferia jogar no Boca ou no River (seu time de infância)” ele disse “não, não. No Inter mesmo”! “E qual o seu sonho”? “Ser campeão Brasileiro pelo Inter” disse o argentino. Então concluindo... Ah como será belo quando nós crentes, largarmos nosso partidarismo por nosso time da infância, o time da velha natureza e sua carnalidade para nos dedicarmos de corpo e alma ao Reino de Deus e sonhar, os sonhos que Cristo tem para nós! Se uma pessoa pode se dedicar tanto e doar tudo de si para coisas dessa terra, quanto mais nos devemos nos dedicar completamente, com todas as forças ao Senhor Jesus Cristo!

Projeto Montevidéo




Eduardo, Rita e Maria Eduarda
Montevideo - Uruguai

   Olá irmaos!


   A primavera chegou a Montevideo, mas parece estar em dúvida se continua conosco ou nao. por isso,  os dias ainda amanhecem com temperaturas baixas. Obviamente isso influe diretamente no ânimo das pessoas.
   Seguimos firmes com o Projeto Montevideo. Nossas prioridades estão focadas em duas principais frentes: A primeira tem a ver com treinamento de liderança jovem, e pensando nisso, estamos ligados ao Seminário Bíblico de las Américas (www.seminariobiblico.com), como voluntários, dando aulas de diversas matérias e em vários centros de estudos. É um trabalho gratificante levando em consideração que aqui a “fome” pelo conhecimento bíblico é enorme. A maioria dos pastores não tem curso teológico e desenvolvem  ministério de tempo parcial. Observando essa necessidade, nosso trabalho tem como propósito levantar uma liderança além de bem alicerçada na Palavra, que saiba aplicar as verdades eternas à uma sociedade tão humanizada como a uruguaya. Pedimos ao Eterno para alguns desses que hoje estamos treinando, desejem andar pelo duro caminho do ministério pastoral, e  assim, possam nos ajudar a desenvolver o trabalho de plantacao de igrejas no futuro próximo.
A outra frente que atuamos é a de apoio aos trabalhos locais já plantados. Isso nos ajuda a compreender a cultura, incluindo as várias nuances da Igreja Evangélica Uruguaya, além de nos mostrar o que toca o coracao desse povo. Essas igrejas são, em sua maioria, igrejas pequenas, de cerca de quarenta pessoas, às vezes menos, onde o ensino bíblico é insipiente e a liderança, quando existe, está recém formada. Há muito trabalho, e o Senhor tem nos dado como presente a abertura das portas. Estamos atualmente colaborando com dois trabalhos locais.
   Além disso, vamos começar ainda em outubro um trabalho evangelístico em feiras. Há uma feira famosa, onde se pode encontrar de tudo, tudo mesmo. Nos domingos a partir das oito da manhã, milhares de pessoas acorrem a este local para especular.
   Atualmente o povo uruguaio está um pouco mais aberto a espiritualidade e queremos aproveitar essa oportunidade para pregar o Evangelho. Pedimos a você e a sua igreja para continuar orando por nossa família e para que o propósito de Deus se cumpra em nossas vidas.

Paz!

Pedimos que eventuais ofertas sejam depositadas para:


RITA DE CÁSSIA FERREIRA CARPENTER
BANCO SANTANDER
AGENCIA 1432
POUPANÇA 60003989-1

A Revolução das Mesas - Série At 6 (parte 2)

Essa é a segunda mensagem da série "Atos 6". Vale a pena fazer o download e ouvir! Uma das mensagens mais impactantes deste ministério.





Unção para todas as coisas – Série Atos 6 (Parte 1)




1Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária. 2Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas. 3Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; 4e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra.

v.1 Com o crescimento do número de discípulos surge um problema para a Igreja Primitiva. Todo crescimento gera necessidade de mudança. Expansão de alcance evoca necessariamente expansão de serviço. Vemos isso na história dos odres. Quando o vinho fermentava, o odre precisava se expandir, caso contrário partiria. Assim, quando a igreja cresce, não se pode mais viver do jeito que se vivia quando a igreja era pequena. Não estou dizendo que deva se viver outro evangelho, mas que tudo precisa ser reorganizado. Por exemplo: Em uma igreja pequena, o pastor pode pregar “qualquer” coisa na confiança de que os membros não irão se escandalizar. Em outras palavras, ele não precisa medir muito as palavras com medo de que alguém se ofenda, pode inclusive falar muitas palavras em linguagem coloquial. Caso alguém entenda mal, ele verá isso no rosto na hora da preleção e logo após o culto poderá esclarecer tudo à pessoa. Mas com o crescimento da igreja, o pastor precisa tomar mais cuidado e usar uma linguagem mais polida, pois caso alguém o interprete mal e se ofenda, ele bem possivelmente nem chegará a ficar sabendo disso, ou mesmo, corre o risco de acordar com um processo “nas costas”.
         A Igreja primitiva, ou como gosto de chamar esse período, a “Igreja Nascente”, porque ela ainda não estava organizada nesse período, não estava preparada para lidar com o crescimento. Simplesmente saiu pregando, evangelizando e para isso precisava da unção de Deus o que não lhes faltava. A Bíblia diz     que dia a dia eram acrescidos os que iam sendo salvos (At 2.47)!
         Desde os dias do Movimento de Jesus, existia um caixa da Igreja, e desde Judas cuidava (Jo 12.6). Na Igreja Nascente isso permaneceu, as ofertas e bens eram doados a Igreja e esta os administrava. O que nos parece é que até este momento, quem cuidava de tudo isso eram os próprios apóstolos. Porque no versículo 2 eles admitem não ser bom que se preocupassem com administração em privação da Palavra. Agora imagine: A Igreja Nascente já contava nesses dias com milhares de pessoas. No mínimo mais de 3.000 pessoas! Como 12 homens poderiam dar conta de cuidar de tantos discípulos? Como 12 homens poderiam cuidar de “tudo” em uma igreja de mais de 3 mil membros? Como discipular todos esses recém-convertidos?
          O resultado foi uma grande cofusão. A Igreja Nascente possuía um serviço de assistência às viúvas e justo as viúvas de um grupo que já não se considerava bem aceito(os helenistas), foram esquecidas!
v.2 Os 12 depois de ouvirem as reclamações do povo, perceberam que algo precisava mudar. Perceberam que sozinhos não dariam conta de tudo.
E não somente isso. Admitem que seu chamado (dos 12) era a “Palavra”. O ministério dos 12 era anunciar o evangelho. Eles não tinha sido chamados para servir mesas, para cuidar da tesouraria ou para serem secretários. Tinham sido chamados para o ministério da Palavra!
v.3 Mas eles não negam a existência de pessoas vocacionadas e ungidas para o trabalho social! Do contrário, pedem por sete homens “cheios do Espírito Santo e de sabedoria” para executar a diaconia!
1º Qual é o teu ministério?
Nós que lhes anunciamos a palavra, recebemos unção para fazer isso e sabemos que nem todos poderão anunciar a palavra da maneira como nós anunciamos (do púlpito). Não que sejamos melhores, antes, porque fomos escolhidos e ungidos para isso. Chamados e capacitados por Jesus. Então entendemos as limitações daqueles que não foram chamados para isso. Creio que se chamarmos alguns de vocês para vir aqui pregar, começarão a tremer e tremer...
Já outros são chamados para cuidar e pregar às crianças. E precisam de unção para fazer isso; entender que nem todos possuem chamado para esse ministério. Entretanto, às vezes menosprezamos alguns ministérios. Todavia tudo que um crente faz na igreja, o faz, ou deveria fazer espiritualmente. Eu creio que quando uma irmã funcionária está limpando a igreja, está fazendo o que foi comissionada a fazer, mesmo que para isso esteja recebendo um salário, porque nós, os que pregamos, também recebemos dinheiro para fazer isso e o salário não invalida o chamado.
Quando tentamos fazer uma coisa para a qual Deus não nos capacitou para fazer o resultado será sempre negativo. Mesmo que a tarefa seja executada, será sempre um pesar. Digamos que um ministro de louvor faça aulas, treine, se prepare, e cante muito bem. Mas não tenha sido separado por Deus para isso. Por mais que cante ou toque bem, além de não ser algo edificante para a igreja, para si mesmo será uma frustração.
Agora quando eu digo que precisamos de unção para tudo que formos fazer na obra, não estou dizendo que você deve fazer apenas uma coisa e dizer: Não me chame para carregar nada, porque meu chamado não é este...
Precisamos aqui diferenciar o chamado de vida, que vem com unção vitalícia (no sentido de capacitação) e convocação para uma tarefa que vem com unção momentânea.
Precisamos saber qual é o chamado específico de nossas vidas e dedicarmo-nos nele. TODO CRENTE TEM UM MINISTÉRIO! Deus tem um plano específico para sua vida e uma maneira pela qual quer te usar.
Entretanto, todo crente é chamado para o serviço! Assim, você pode receber uma unção para carregar sacos de cimento em uma obra da igreja, o que não significa que você vá precisar trabalhar com construção pelo resto da vida, nem que o saco vai ficar mais leva por causa disso, mas que sua tarefa terá sido uma tarefa espiritual e toda tarefa feita espiritualmente por um crente traz o Reino de Deus!
Nós somos a Igreja. Por isso que é difícil para nós entender um irmão que sempre diz “não” quando lhe pedimos algo! Você é Igreja! Quando serve, não serve ao pastor, serve ao Senhor Jesus. E quando serve em seu ministério especifico, além de servir a Cristo e aos irmãos, está servindo a si mesmo, pois só entramos a felicidade no centro da vontade de Deus e o centro da vontade de Deus sempre estará no cumprimento do ministério para o qual ele nos chamou!

Agora mudando um pouco de assunto. Você precisa de unção não somente para as coisas da igreja. Você precisa orar pela “unção nossa de cada dia”. Você precisa da unção e sabedoria (At 6.3) para as tarefas e encargos diários. Você precisa e deve pedir unção a Deus para executar seu trabalho secular. E mais, precisa e deve pedir unção a Deus para executar seu ministério familiar! Isso mesmo, unção para exercer sua função de filho, de pai, de mãe e de cônjuge.
Não é nada fácil uma família onde cada um exerce sua função conforme a Bíblia ensina em um mundo de cabeça para baixo. Em um mundo onde é normal filhos baterem boca com os pais, mulheres desrespeitar seus maridos e maridos baterem em suas esposas. Em um mundo onde é normal que os filhos usem a internet sem cuidado algum e onde o adultério se tornou habitual. É normal, e habitual, MAS É PECADO! O fato de algo ter se tornado normal não significa que deixe de ser pecado! Há milênios a mentira se tornou normal e nem por isso deixou de ser pecado. Do mesmo modo, ainda que seja difícil e na contramão desse mundo, devemos clamar a Deus por unção para exercer nosso papel familiar!
E pelo simples fato de ser o Pai, você já tem autoridade sobre sua casa e se não exercê-la com unção de Deus o diabo vai exercê-la! Se não for uma mãe presente na vida de seu filhos as drogas serão (presentes)... Se não for um filho que ame e honre seus pais, a bebida e a depressão poderão bater à porta deles. Creio que Deus se emociona quando um filho seu pede unção para exercer seu ministério familiar!

2º Você está buscando unção para isso?

Então eu quero hoje te perguntar algumas coisas. Você já sabe o ministério específico no qual Deus quer que você trabalhe? Tem se dedicado ao serviço?
Tem buscado de Deus a unção para executar o ministério familiar?
Quando trabalha na obra, seja fazendo que for, sente-se bem ou como um peso? No ministério onde serve em sua igreja como se sente? Se tem lhe sido um peso, talvez você tenha feito simplesmente para agradar homens, esteja fazendo sem chamado, ou não esteja buscando a unção...
Quem recebe unção recebe juntamente responsabilidade.
O chamado à unção é o chamado ao serviço! Buscar unção de Deus é pedir para trabalhar pelo Reino!

Sou nova criatura!




Sidinei Bühler Kauer

2Co 5.16-17 “Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo. 17E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.”

O que é conhecer segundo a carne? É conhecer naturalmente, olhar da maneira como todos olham e enxergar o que qualquer um enxerga. É olhar ao redor e enxergar apenas as coisas físicas, apenas as possibilidades racionais. Por exemplo, olhar para o filho usuário de drogas e dizer: Você é um maconheiro, bandido, eu não mereço um filho assim, eu fiz minha parte, te criei como devia... Ou mesmo dizer: Não tem jeito, eu sou um falso, eu não mudo, tento, tento, mas continua tudo do mesmo jeito... Ou ainda: Eu não sou ungido como você para sair dessa, Deus quis assim...
NÃO! A ninguém mais conheçamos segundo a carne! O primeiro passo é entender que agora você é “nova criatura” e que “as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.”! Seus pecados foram apagados, sua culpa extinguida, você é novo, livre, filho de Deus! Isso não é pouca coisa, do contrário, é MUITO!
E se não devemos conhecer ninguém segundo a carne, isso inclui a nós mesmos! Não devemos nos conhecer segundo a carne! Irmão não caia nas ciladas de Satanás. O Diabo muitas vezes sussurra em nossos ouvidos que somos derrotados, que estamos desanimados, que a felicidade que sentimos nos primeiros dias da fé era uma ilusão, era emocional, que tudo continua no mesmo. ISSO É MENTIRA! Tudo é novo! Vivamos em novidade de vida (Rm 6.4)! Não deixe sua mente ser levada pelas mentiras de Satanás assim como um pau podre pela menor correnteza! Seja uma árvore arraigada no firme fundamento (2Tm 2.19) que nem mesmo as maiores enxurradas podem arrastar!
Tome posse daquilo que a Bíblia diz que você é! Uma nova criatura, sacerdócio real, povo eleito, nação santa! Tome posse do IDE e da capacitação que Deus dá (Mc 16.15-19)! Em Cristo você é forte. Leia novamente o versículo anterior. Simplesmente por crer e ser batizado você já recebe a capacitação para viver e agir segundo o evangelho! Não olhe mais para si mesmo como um derrotado, como um fraco. O manto de Jesus está sobre ti! Não olhe mais para si mesmo segundo a carne!
E não olhe para os outros segundo a carne! Se Deus efetuou toda essa transformação em sua vida, certamente efetuou em muitos dos irmãos da Igreja (os crentes) e pode efetuar em qualquer pessoa que abrir seu coração!
Não olhe mais para o mendigo como “coitadinho”, mas como um rio esperando para ser represado para alimentar uma grande hidrelétrica! Não olhe para a prostituta como uma mercadoria, mas como um barco à vela parado no meio do mar, esperando somente um vento para lhe fazer navegar. E esse vento pode ser você irmã! Olhe para o viciado, mas creia que Deus deu a você as chaves para abrir as algemas do vício! Tenha fé! Jesus morreu por todos (Jo 3.16), mas nem todos tomaram posse desse poderoso sacrifício (Jo 1.12). No entanto, Deus deseja que todos sejam salvos (1Tm 2.4)! Então pare de olhar para as pessoas ao seu redor como um caso perdido! Ponha os joelhos no chão e clame pela misericórdia do Senhor e depois se levante e vá de encontro a ela! Jesus só está esperando isso para voltar (2Pe 3.9)! Pare de olhar para sua família com os olhos da carne, enxergue um lar de paz, trate seus familiares com todo amor e carinho, mesmo que não mereçam, afinal, você também não merecia a salvação e mesmo assim Deus te deu (Ef 2.8). Siga o exemplo do mestre!
Deixe de lado essa imagem religiosa de Jesus. O versículo base salienta que não devemos conhecer Cristo segundo a carne. Tantas vezes imaginamos um Jesus “coitadinho”. Com o perdão da palavra, mas chegamos às vezes a imaginar um Jesus cheio de frescuras. Isso até blasfêmia é! Se Ele te perdoou, perdoou e pronto! Ele não vai ficar te jogando o pecado na cara todos os dias, quem faz isso é Satanás! Se tivermos uma imagem errada de Cristo não poderemos viver o evangelho. Jesus é TUDO para nós, e nos amou mais do que a si mesmo a ponto de se entregar na cruz. Ele é o caminho pelo qual andamos o sentido de nossa existência... E somente estando n’Ele, somos nova criatura, porque nosso velho homem morreu com Ele lá na cruz! E como Ele ressuscitou glorificado, assim nos conduz no caminho do aperfeiçoamento... Aleluias! Fp 1.6 “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” Meu hoje é “ser” melhor que meu ontem, e meu amanha “ser” melhor que meu hoje. Ainda que os dias sejam piores, serei melhor! E o que é ser melhor? Ah é simples, é ser mais parecido com Jesus! E Jesus, jamais olhava para alguém segundo a carne!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...