O tripé da Sabedoria




            Em uma coisa tanto os crentes como os pagãos, quanto os místicos, todos concordam... Vivemos correndo atrás da felicidade! E o que fazemos para alcançá-la? Tudo! Pagamos o preço que for preciso para encontrá-la. Alguns sentem-se felizes ao verem seus filhos em uma faculdade. Outros, simplesmente ao comprarem algo novo, seja m celular ou uma panela de pressão.
            E quem nunca buscou no prazer um escape, uma janela de felicidade em meio a prisão do “corre-corre”? Seja através da comida, do sexo, do lazer. Os homens buscam esporte, músculos... As mulheres buscam beleza, formosura... Mas todos querem sentir-se bem, todos querem o prazer, a felicidade.
            Bom, no entanto, quando descobrimos algo que nos faz feliz, corremos atrás disso. Verdade é, que muitas vezes a corrida atrás do objeto de prazer acaba sendo mais prazerosa que o objeto em si... É gostoso economizar, colocar o dinheiro no balcão da loja e sair com o produto. Mas com o produto em mãos o prazer vai se gastando. Se dependermos disso para sermos felizes, viveremos correndo atrás do vento.
            Não quero aqui dizer que é errado buscarmos a felicidade. Justamente o contrário, quero dizer que devemos buscá-la, mas, buscá-la da maneira correta. E para isso, precisamos de sabedoria. Enquanto a inteligência está mais relacionada a conhecimento e ação técnica/cientifica, a sabedoria está relacionada com a maneira de se viver. Ela é a matriz pela qual julgamos (entendemos/discernimos). Creio que somente um sábio pode de fato ser feliz. Um estulto poderá conseguir atingir muitos de seus alvos e alcançar todos os seus “objetos de prazer”, mas será um escravo da “roda” e continuamente correrá atrás dela...
            O livro de Provérbios é um dos escritos Bíblicos que mais enaltece a Sabedoria. Ele a estabelece sobre um tripé, sobre três princípios básicos sobre os quais ela está assentada. E aquele que quiser deixar a vida fútil de lado, e entrar no barco da verdadeira felicidade deve abraçá-los.

Primeiro Princípio:
Pv 4.7 “O princípio da sabedoria é: Adquire a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o entendimento.”

            O primeiro passo então para ser alguém sábio é valorizar a sabedoria. E não estamos aqui falando de faculdade. Como diz a música, “é preciso saber viver”. De fato, isso é verdade. Poderíamos dizer que, entre outras coisas, obter sabedoria é aprender a viver. Todas as coisas possuem um jeito certo de serem feitas. Um meio pelo qual são mais eficientes. Existem maneiras de se fazer churrasco, de dirigir um carro e de limpar uma casa. Sempre uma das opções será a melhor para você. Assim, também existe um “jeito certo de se viver” [i]. E descobrir esse jeito certo de viver é tornar-se sábio. Agora, lógico que aplicar um “jeito de viver” à nossa vida, precisa ser algo universalizável[ii], ou seja, algo que todos poderiam por em prática sem trazer prejuízo uns aos outros. Ai é que está a questão: Como ser feliz e viver bem sem prejudicar os demais? Porque a maioria das ideologias e filosofias de vida que vemos em nossos dias nos leva a uma luta desenfreada, onde quem manda é a lei do mais forte, seja essa força econômica, emocional e até mesmo espiritual, ou melhor, eclesiástica.
            Logo, tudo que nos resta fazer é olhar ao nosso redor em busca de algo ou alguém que possa nos mostrar como obter a sabedoria. Como viver do jeito certo que nos leve tanto a felicidade pessoal, quanto a felicidade coletiva. Um jeito de viver que seja bom para todos! Uma vez que, se vivêssemos apenas atrás da felicidade particular, justificaríamos assim “a tortura ou a crueldade por causa do prazer que traz aos sadistas” [iii].
            E depois de encontrada essa fonte de sabedoria, dedicar tudo que temos e somos para consegui-la! Vimos então o primeiro tripé da sabedoria: Adquire-a!


Segundo Princípio:
Pv 9.10 “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência.”

            O segundo fundamento do tripé da sabedoria é “o temor do Senhor”. Vimos no princípio anterior que a sabedoria deve ser adquirida com todas as forças, com todo nosso empenho. Como viver aquele princípio sem entrar em contradição com esse, uma vez que diz que o temos ao Senhor é o princípio da sabedoria e tal Senhor ordena por sua palavra: Mt 22.37 “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.”? Assim, o primeiro princípio diz que devemos adquirir a sabedoria com todas as forças e o segundo temer a um Deus que pede que o amemos com todas as forças.
            Podemos conciliar isso “porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude” Cl 1.19. Em Cristo habita toda a Plenitude, e o modo como Ele viveu aqui na Terra é a síntese de toda a sabedoria! De modo que adquirir a sabedoria com todas as forças e temer a Deus (os dois pés já citados) se resume em obedecer Jesus e imitá-lo. Podemos achar mais de 20 passagens Bíblicas no NT falando à respeito da sabedoria de Jesus.
            Devemos largar de lado todos os conceitos, todos os métodos, todos os anseios e expectativas e olhar par ao Cristo e n’Ele buscar a sabedoria! Jesus é a sabedoria em pessoa. Toda e qualquer forma de sabedoria sempre será um respingo da pessoa de Cristo. Se não é fragmento de Cristo, é pseudo-sabedoria. Assim a solução para o nosso problema de buscar a felicidade sem que isso se torne um sonho irreal e possa ao mesmo tempo ser uma felicidade coletiva, é a imitação de Cristo[iv].
            Assim, não apenas olhamos para a situação perguntando o que Ele “faria” em nosso lugar, mas olhamos para o espelho e perguntamos quem Ele “seria” em nosso lugar. Ai está a sabedoria que deve ser adquirida com todas nossas forças. Não buscamos ser a imagem do Cristo que viveu milênios, mas nos moldar ao meio como Ele viveria em nosso século, em nosso contexto, nem nosso lugar! Essa é a sabedoria, imitar Jesus.

Terceiro Princípio:
Pv 11.30 “O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio.”

            A última base do tripé é ganhar almas. Este princípio já está incluso nas outras duas bases e por isso mesmo chamei de “tripé da sabedoria”, porque são princípios entrelaçados.
            Não tem como imitar a Cristo sem ganhar almas. Ou ganhamos almas ou não estamos imitando Cristo. E como Ele ganhava uma alma? Libertando-as! Lc 4.18-19 NTLH “O Senhor me deu o seu Espírito [unção]. Ele me escolheu para levar boas notícias aos pobres [evangelho] e me enviou para anunciar a liberdade aos presos, dar vista aos cegos, libertar os que estão sendo oprimidos e anunciar que chegou o tempo em que o Senhor salvará o seu povo.”

            Se analisarmos apenas esse trecho, poderemos dizer que ser sábio, seria:
  1. Buscar comunhão com a Trindade. (o Senhor [Pai] me [Filho] deu o seu Espírito)
  2. Boas novas os pobres (Diaconia)
  3. Libertação aos presos. (Libertação Social)
  4. Curar os enfermos. (corpo, alma e espírito)
  5. Libertar as pessoas de Satanás (Libertação espiritual)
  6. Proclamar a salvação.


[i] Ariovaldo Ramos – www.ariovaldoramos.com.br
[ii] Kant, Fundamentação da Metafísica dos Costumes, Pg. 59.
[iii] Norman Geisler, Pg. 73.
[iv]  A Imitação de Cristo, Tomás de Kempis

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário isso nos ajudar a crescer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...