Debulhando milho

Sidinei Bühler Kauer

Há alguns dias o Senhor me trouxe a memória um fato que há muito eu tinha esquecido. Lembrou-me de uma máquina de cortar grama que tínhamos quando eu estava na terceira série e tinha por volta de 10 anos de idade. Eu tinha um colega chamado César Henrique, que dizia que aquilo não era uma máquina de cortar grama, mas sim um “aparelho”. Por que ele dizia isso? Simples, porque a máquina era manual! Não tinha motor. Funcionava com um sistema de lâminas que giravam verticalmente, em contraste com as atuais que giram horizontalmente. Assim, as lâminas eram ligadas por engrenagens às rodas e quando estas giravam, as lâminas giravam também. De modo que se empurrássemos a máquina com mais força, as lâminas aceleravam também. Pessoalmente, acho aquele sistema melhor que o atual (para pequenos pátios), pois não precisa puxar fio para tudo que é lado. A máquina funcionava muito bem e eu apenas não cortava a grama porque era ainda um pouco fraco para dar conta do serviço. Com o tempo, aquele estranho aparelho foi ficando velho e não recebeu manutenção, até que virou sucata.

Hoje, se víssemos alguém com uma máquina como aquela certamente iríamos rir, mas naqueles dias ela foi por demais útil! O fato é que ela cumpria o que prometia e deixava a grama bem aparada sem custo.

Também me lembro de quando bem pequeno, ver meu pai debulhando milho esfregando um sabugo na espiga. E bem pequeno, pegava um sabuguinho e tentava ajudar ele. Com o tempo, as coisas foram evoluindo e meu avô, moedeiro experiente, comprou uma máquina, que descascado o milho, colocava-se nela, então era só tocar uma manivela e ela debulhava a espiga. Trilhadeira era como nomeávamos a máquina. Passou mais um pouco de tempo e meu avô, conseguiu comprar uma máquina mais moderna. Essa por sua vez, já debulhava o milho sem que precisássemos tirar a palha. Assim, bastava colocar na máquina e depois “abanar” o milho para tirar as impurezas. Passou o tempo, e o seu Conrado sai com outra. Agora ele compra uma máquina que “abana” o milho automaticamente. Então depois de colhido, basta passá-lo por 3 máquinas e depois vender a farinha.

Mas eu te pergunto: Isso fez meu avô mais feliz? Não! Bom, mas pelo menos fez com que ele trabalhasse menos né? Não sei! Porque antes ele precisava trabalhar para ter dinheiro para comprar coisas básicas. Mas depois ele precisava trabalhar para pagar as máquinas e quando terminava de pagar uma comprava outra e quando terminou de comprar tudo já estava na hora de fazer manutenção! Então, o prazer e a vantagem que as máquinas trouxeram, em sua essência, foi o prazer da novidade. Mas o pseudo alívio trouxe consigo outras preocupações!

Os antigos tinham muitos filhos porque criam que os filhos seriam força para o trabalho. Só que a cada filho que aumentava também o consumo. E depois que o filho crescia e passava a produzir mais do que consumia, ele formava uma nova família e dividia ao invés de somar o patrimônio!

Compramos um monte de coisas com a desculpa de que essas coisas nos farão viver melhor, todavia são estas mesmas coisas que nos tornam escravos! Compramos carros, máquinas de lavar roupa, computadores, celulares micro-ondas e mais uma infinidade de coisas sob o pretexto de que nos farão economizar tempo e viver melhor, mas são essas coisas que nos obrigam a viver em uma sociedade cada dia mais agitada, cansada, estressada e sem tempo para curtir os objetos que comprou para seu prazer!

Muitas pessoas têm uma infinidade de artigos de lazer em suas casas e não tem tempo para utilizá-las. Para não perder o negócio, compramos qualquer coisa que estiver em promoção, mesmo que não venhamos nunca a utilizar! Que sociedade é essa que vivemos, porque complicamos tanto as coisas? Essa é a sociedade pós-moderna, a sociedade da imagem! O Dr. Augusto Cury diz: “Antes as pessoas buscavam ser. Depois, como não conseguiam mais ser, passaram a buscar parecer. Hoje, como não conseguem nem ser e nem ter, se contentam com parecer”!

O veneno da sociedade pós-moderna se espalhou rapidamente por todo o ocidente e hoje vemos a crise mundial e ficamos abismados, mas é a crise do parecer! Muitas empresas pareciam ser sólidas. Quem poderia dizer que a GM, a maior montadora do mundo estava corroída! Pv 16.18 diz: “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda.” Grandes empresas que pareciam sólidas ruíram! Nunca existiu um povo tão preocupado com a imagem do que os ocidentais dos dias de hoje!

Não paramos mais para analisar se precisamos de algo, se necessitamos de mudança, se estamos bem por dentro. Apenas nos preocupamos em olhar para a mídia, olhar para os outros e depois olhar para nós mesmos e procurar o que está faltando para sermos como o estereótipo midiático! Não buscamos mais algo porque sentimos uma necessidade intrínseca, mas buscamos porque precisamos vender uma imagem que se pareça com a imagem que passa na televisão.

Mas sabe por que estou falando tudo isso meus amados. Porque esses princípios que estão infiltrados na sociedade, tem entrado dentro das igrejas também! Convivemos com todo tipo de pessoas em nosso quotidiano e sofremos influencia do meio em que vivemos e já que vivemos na “era da imagem”, temos vivido um “CRISTIANISMO MIDIÁTICO”! Em se está na moda falar mal de alguma igreja evangélica, então nos aliamos a mídia e “metemos o pau nela”. Foi o que aconteceu quando aquela igreja da renascer desabou! Até os crentes estavam maldizendo a Renascer e em sua grade maioria sem conhecimento de causa! Agora vamos tomar um caso inverso. Pessoas vêem na televisão um modelo de igreja e chegam na sua igreja e querem implantá-lo! Assistem na televisão um culto em formato comercial que não tem nem pregação e querem implantar isso na igreja que freqüentam! Ou então jovens vão a uma cidade grande, vêem cultos cheios de efeitos pirotécnicos e querem colocar em sua pequena igreja do interior! Hoje existem muitas pessoas que freqüentam as igrejas mas não são ovelhas dos pastores que ali pregam, pelo contrario, são pastoreadas “on-line” pela televisão e internet!

São casos diferentes, mas que apontam para o mesmo fato: TEMOS IMPORTADO O SISTEMA MIDIÁTICO PÓS-MODERNO PARA DENTRO DAS IGREJAS! E Jesus não é da moda meu irmão! O EVANGELHO CONTINUA FUNCIONANDO DA MESMA FORMA! Continua sendo necessário que você tire horas a cada dia para buscar a presença de Deus!

A Bíblia continua dizendo que A COISA MAIS IMPORTANTE QUE VOCÊ TEM A FAZER É BUSCAR A DEUS! Não importa se você tem dinheiro ou não, qual sua roupa de marca ou quanta coisa você tem para fazer no seu dia a dia, o evangelho continua sendo o mesmo que diz “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mt 6.33!

Não importa quanta coisa você tenha pra fazer a Bíblia continua dizendo “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.” Mt 28.19-20

A quantidade de coisas que você tem para fazer não lhe tira a responsabilidade de cumprir a Palavra de Deus! Então você precisa sim evangelizar, discipular, cuidar de vidas! Sua responsabilidade não termina quando você conduz a pessoa a receber Jesus e nem quando ela é batizada, você ainda precisa se dedicar em instruir a pessoa nos caminhos do Senhor! E daí terminou? Não, daí você precisa reiniciar o processo!

Já diziam os antigos que “quem não vive para servir não serve para viver”! O nosso Jesus é o mesmo Jesus dos apóstolos e se eles confiavam em Jesus e faziam a obra e eram felizes, porque temer?

PODEMOS ATÉ VIVER EM UMA SOCIEDADE QUE SE CONTENTA COM O “PARECER”, MAS PARA JESUS CONTINUA SENDO NECESSÁRIO “SER”!

Na igreja de Jesus não tem espaço para o pensamento pós-moderno do parecer! Não existe igreja da imagem! Igreja da Imagem não é igreja de Cristo! Ou você é cristão ou não é! Se você parece crente, mas ai dentro ainda não é, se arrependa de seus pecados e converta-se ao Senhor Jesus pois do contrário o fogo do inferno já te aguarda!

Passaram-se os tempos em que se acreditava em lobisomem, papai-noel e mula-sem-cabeça e por isso tem gente achando que não precisamos mais crer no sobrenatural de Deus.

Meu amado, o sobrenatural de Deus é bem diferente de folclore! Continua existindo uma batalha espiritual e como diz o Pr. Samuel Piangers: “Ou você luta a batalha espiritual ou você sofre a batalha espiritual”. Ou cremos que existe um mundo sobrenatural além desse mundo e sociedade de imagem em que vivemos ou mesmo sem acreditar sofreremos as conseqüências!

Ou você se fortalece em santidade, oração e jejum ou continuará apanhando! E há quem vai dizer que não tem lutado batalha nenhuma e está muito bem. Pois, tudo que tenho a lhe dizer, é que se você não está lutando e não está sentindo ataque algum, então você já foi derrotado! Porque só quem não sente dor quando está apanhando é quem já morreu! E pode ter certeza eu todo aquele que está em Jesus é atacado pelo inimigo!


Sidinei Bühler Kauer


0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Deixe aqui seu comentário isso nos ajudar a crescer!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...